A transferência e a dimensão dramática da psicopedagogia – Anne Marie Bouyer

R$0,00

Em seu artigo, Anne Marie aborda a transferência como fenômeno que ocorre nas relações humanas situando seu discurso sobre a dimensão dramática da psicopedagogia. Sobre a palavra transferência, a autora apresenta, após uma breve explicação sobre o termo e o seu significado etimológico, o significado sob o ponto de vista psicodinâmico e lacaniano. Através de cinco perguntas, o texto abre possibilidades reflexivas ao leitor.

A reflexão inicia-se apontando para a diferenciação entre o fenômeno da transferência vivido na vida cotidiana de um sujeito, daquela transferência vivida no setting terapêutico, no trabalho analítico. Além disso, a autora questiona qual o lugar que o psicopedagogo ocupa no imaginário desse sujeito-cliente. Para pensar a questão, o posicionamento de Freud sobre a constituição subjetiva do sujeito é abordado, valorizando a importância da relação mãe-filho, das relações primárias, na construção da matriz do desejo. O texto aborda também a ressonância afetiva que o sujeito, por algum motivo, estabelece com o psicopedagogo, colocando-o no lugar de uma figura significante, como o pai ou a mãe.

 

Para ler o artigo na íntegra, associe-se. Caso seja assinante, faça login.

Os problemas de aprendizagem foram a plataforma para o lançamento do campo da psicopedagogia que atua na investigação e intervenção deste universo. A psicopedagogia estuda o pensamento no ato de conhecer e, assim, ela se ocupa das dimensões lógicas e desiderativas do sujeito que aprende. E a nossa exposição irá se deter na dimensão dramática da psicopedagogia com foco na transferência enquanto fenômeno que ocorre nas relações humanas de toda ordem. Desse modo, a operação de transferência acontece na relação do psicopedagogo e o seu cliente.

A dimensão dramática se refere ao mundo pessoal-simbólico de cada um. Nossos sonhos, desejos, temores, receios, angústias, o que nos faz rir, chorar e, num instante ou não, enxugar as lágrimas e estar pronto para dar conta da objetividade que a vida nos impõe. Talvez este seja o grande desafio do ser humano, tentar equilibrar as duas dimensões para que possamos caminhar de forma satisfatória... Para ler o artigo na íntegra, associe-se. Caso seja assinante, faça login.

Anne Marie Boyeur

Anne Marie Boyeur

É graduada em Psicologia, com especialização em psicopedagogia clínica e psicanálise. Possui formação em massagem biodinâmica e análise psico-orgânica. Palestrante na área de Estresse, facilitadora em dinâmicas de grupo. Atua na área de treinamento e desenvolvimento humano, bem como atendimento clínico como psicóloga, psicopedagoga e em orientação profissional.